Cuidados na hora de financiar um imóvel

Se você pretender comprar uma casa nos próximos anos e utilizar um financiamento para possibilitar essa conquista é importante estar ciente de algumas questões. Esse é um compromisso muito sério e é necessário se preparar para dar esse tão sonhado passo. Quem acha que, para ter a casa própria, basta escolher o imóvel e pagar as prestações está muito enganado. Existem diversos outros custos envolvidos no processo. Porém, é completamente possível arcar com todas as despesas desde que você tenha o planejamento adequado, esteja ciente de todos os pagamentos, taxas e responsabilidades e se prepare para isso.

Pesquise sobre a empresa vendedora

É importante verificar a procedência da corretora ou imobiliária que está vendendo o imóvel. Cheque se a empresa, seus engenheiros e arquitetos tem registro no Crea (Conselho Regional de Engenharia e Agronomia); verifique a situação da empresa nos órgãos de defesa ao consumidor, e se eles estão envolvidos em algum processo judicial.

Analise as informações sobre o imóvel e veja se eles realmente cumprem tudo o que prometem. Não esqueça de ponderar sobre as taxas de juros e fazer uma comparação com os valores da concorrência. Nem sempre as taxas mais altas significam mais qualidade, assim como as muito baixas podem surpreender negativamente. O ideal é que você procure um advogado especialista para a análise dessa documentação.

Tenha planejamento financeiro

Quando um comprador quer fazer um financiamento, o banco analisa diversos critérios para liberar o dinheiro. Diversos documentos são solicitados e existem alguns pré-requisitos. Por exemplo, se a pessoa tiver outros compromissos como aluguel e empréstimos o banco já entende que pode existir mais dificuldade para arcar com os pagamentos. Por isso, se possível diminua ou extermine as dívidas antes de iniciar o processo de financiamento. A maioria dos bancos praticam uma margem de no máximo 30% da renda mensal comprometidos. O ideal mesmo é que você tenha no máximo 25% do total da sua renda comprometida com o financiamento como uma margem de segurança, e claro que quanto menor essa porcentagem melhor. Você também pode optar por pagar uma parcela mais alta e diminuir o número de parcelas e os juros, mas é preciso analisar suas condições e decidir com calma e consciência.

É importante estar prevenido, pois caso haja uma mudança drástica na sua renda mensal como a perda de um emprego ou cliente se as parcelas forem altas será ainda mais difícil efetuar os pagamentos. Se o orçamento ficar apertado você poderá ter que recorrer a opções de crédito como cheque especial ou cartão de crédito, que possuem juros muito mais altos. Os juros do financiamento imobiliário são bem mais baixos então as vezes é melhor contratar uma parcela menor, e caso tenha parte do dinheiro conseguir amortizar sua dívida.

 

Deixe uma resposta

Quer saber mais? Receba nossa newsletter.